Os nossos objectivos
Como definido no Regulamento Interno,
a ANGEL tem como finalidades prestar auxílio, informação e apoio aos familiares de portadores do Síndrome de Angelman em Portugal, bem como a profissionais e técnicos de saúde, investigadores e demais interessados.
Ser o ponto de convergência e de
informação para portadores do
Síndrome de Angelman em Portugal
Facilitar o acesso dos portadores
do Síndrome de Angelman e das suas famílias a todo o tipo de informação, acompanhamento e terapêutica
Apoiar iniciativas que criem condições
para a educação vocacional e a integração profissional dos jovens e adultos portadores do Síndrome de Angelman
Apoiar a investigação sobre o Síndrome de Angelman em Portugal e no estrangeiro
Divulgar o Síndrome de Angelman
entre médicos, técnicos de saúde,
terapeutas, professores e sensibilizar
a sociedade civil em geral, com vista
a permitir o seu diagnóstico
precoce e a sua prevenção
Promover e enquadrar junto de profissionais e técnicos de saúde programas específicos que potenciem o desenvolvimento das crianças portadoras do Síndrome de Angelman
Encontrar soluções que permitam salvaguardar o futuro das pessoas portadoras do Síndrome de Angelman
Estabelecer intercâmbio com organizações internacionais congéneres
Orgãos Sociais
Assembleia Geral
Lisete Pinho Amaro
Presidente
José Pedro Fernandes
1º Secretário
Sandra Vieira Silva
2º Secretário
Direcção
Ricardo Chaves
Presidente
Catarina Costa Duarte
Secretário
João Pedro Marcelino
Tesoureiro
Conselho Fiscal
Mariana D'Orey Luz
Presidente
Mário Cabral
1º Vogal
Paulo Garcia
2º Vogal
Sócios

Pode fazer-se sócio da ANGEL
Qualquer pessoa singular ou colectiva com interesse na prossecução dos fins da mesma. Para tal, basta preencher a ficha de inscrição correspondente (online ou fazer o pdf e enviar por mail ou correio) que se encontra no lado direito do ecrã.

 

Os Associados

Efectivos

as pessoas portadoras de Síndrome de Angelman e os respectivos familiares, amigos e quaisquer outros interessados, os pais, os encarregados de educação
e os irmãos de pessoas portadoras de Síndrome
de Angelman, desde que subscrevam uma quota

 

Os Associados

Honorários

as pessoas que como tal sejam qualificados mediante deliberação da Assembleia Geral, sob proposta da Direcção

 

Correspondentes

todos os que não preencham as condições para se tornarem associados efectivos, mas subscrevam uma quota mensal, trimestral, semestral ou anual.

Constituem direitos dos Associados Efectivos
-Participar nas reuniões da Assembleia Geral
-Requerer a convocação da Assembleia Geral, nos termos dos presentes estatutos
-Eleger e ser eleito para cargos associativos
-Consultar as contas da Associação e o Plano e Relatório de Actividades
-Apresentar propostas aos órgãos sociais da Associação
-Apresentar sugestões práticas no interesse da Associação
Constituem deveres do Associado
-Pagar pontualmente os encargos associativos, designadamente a quota anual
-Cumprir as disposições estatutárias e regulamentares
-Exercer com zelo e dedicação os cargos para que foi eleito